O que é renda fixa e como investir

  1. O que é renda fixa e como funciona?
  2. Títulos de renda fixa
  3. Como investir e qual a rentabilidade?
  4. Vantagens de investir em renda fixa
  5. Conclusão

 

A renda fixa é um modelo de investimentos que pode ser indicado tanto para os investidores iniciantes como para os mais experientes, que possuem qualquer tipo de perfil. Em termos gerais, apresenta, basicamente, três características: prazo, rentabilidade e emissor do título, que abordaremos mais a fundo a seguir.

 

Com a taxa básica de juros Selic baixa, que na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) foi definida em 3,50%, com aumento de 0,75 ponto percentual em relação ao último reajuste, a taxa de retorno pode não parecer mais tão atrativa quanto em anos anteriores, na qual os patamares estavam mais altos. 

 

Se você ainda não investe de maneira mais expressiva e ainda está analisando as possibilidades ou se, por outro lado, já investe em renda fixa e tem dúvidas se o atual cenário econômico ainda é favorável, este artigo é para você. No presente texto iremos entender o que é renda fixa, como ela funciona, quais são os tipos de investimentos possíveis e, de brinde, uma análise macroeconômica se ainda vale a pena investir nessa modalidade. Confira.

 

 

O que é renda fixa?

 

A renda fixa é o tipo de investimento cuja rentabilidade é previsível, ou seja, na hora de aplicar o investidor já fica sabendo sobre o prazo e a taxa de rendimento ou o índice que será usado como referência para rentabilizar o dinheiro investido. 

Por exemplo: a pessoa que faz o aporte sabe que vai receber 3% ao ano ou o quanto variar a inflação. Por isso, diz-se que o rendimento é mais previsível que a renda variável e, geralmente, é a porta de entrada para a maioria dos investidores. Sendo assim, por mais que existam títulos de renda fixa para todos os perfis de investidor, essa modalidade é muito indicada para os que são mais conservadores. Esse tipo de investimento pode oferecer uma fonte de renda estável, previsível e com menor risco.

Apesar de ser considerado o mais simples dos investimentos e oferecer muitas possibilidades, a renda fixa esconde alguns pontos e riscos, que se caso o investidor não estiver bem informado ou não for atendido com atenção, pode levá-lo a fazer más escolhas. Existem diversos tipos de aplicações na renda fixa, as quais são caracterizadas por objetivos, risco, emissor, rentabilidade etc.

 

Quais são os títulos de renda fixa?

 

Para fazer uma melhor compreensão acerca dessa modalidade, vamos mencionar e analisar alguns dos títulos mais populares. Em termos gerais, títulos são apenas um empréstimo feito pelo investidor a uma empresa ou governo, que paga juros ao longo do tempo, mais o valor do principal no final de um período predeterminado.

Imagine um exemplo: você compra um título de 5 anos com valor de R$ 5.000 que paga juros de 3% a.a. Você ganhará R$ 150 por ano durante 5 anos. Esses juros podem ser pagos em intervalos diferentes, como mensal, trimestral ou semestral. Após o período, você terá ganho R$ 750,00 em juros e o emissor também pagará o valor principal de R$ 5.000.

 

Os investimentos mais populares são:

 

  • CDB e RDB: São exemplos de aplicações em renda fixa em títulos de bancos, que funcionam como um empréstimo que, posteriormente, o investidor resgata com juros;
  • Tesouro Direto (títulos do governo): Nessa aplicação, o emissor é o governo federal. Há títulos prefixados, como Tesouro Prefixado, e títulos pós-fixados, como Tesouro Selic e Tesouro IPCA+;
  • Debêntures e notas promissórias: São exemplos de aplicações em títulos de dívida de empresas; 
  • LCI e LCA: Também é como emprestar dinheiro para o banco em troca de uma taxa de juros (o rendimento do título), no entanto, isento de IR;
  • Letra de Câmbio: Assim como os CDBs e RDBs, funciona como um empréstimo em que, no vencimento, o investidor resgata com juros. A diferença é que as LCs são emitidas por financeiras, não por bancos;
  • CRI e CRA: Os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) são isentos de IR e representam a promessa de um pagamento futuro referente a imóveis. Em outras palavras, são pedaços de dívidas que podem ser comprados por investidores através de uma securitizadora. Os Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) são semelhantes, a diferença está somente no setor;
  • Poupança: A poupança ainda é uma das maneiras mais populares de investir em renda fixa. O rendimento é mensal, feito direto com o banco e não há cobrança de Imposto de Renda.

 

Como investir e qual a rentabilidade?

 

De uma maneira geral, o investimento em renda fixa funciona como um empréstimo do investidor a uma outra parte, chamada emissor, e por isso recebe um rendimento. Esse empréstimo pode ser feito ao governo ou a empresas privadas.

 

Para investir é preciso procurar um banco, uma corretora, ou uma plataforma de investimentos, como a expeer, e ver as opções e modalidades disponíveis.

 

A rentabilidade varia de acordo com o investimento, como já falamos acima. Pode ser feito de dois tipos com relação à forma de definir o rendimento.

 

Prefixado: o dinheiro investido vai render uma taxa exata combinada e fixa, já acertada na hora da aplicação;

Pós-fixado: o dinheiro investido vai render de acordo com a variação de algum indicador, como a inflação ou o CDI. Ou seja, não há um percentual garantido, apenas uma previsibilidade.

 

Vantagens de investir

 

Esse tipo de aplicação, a depender do banco ou instituição, pode funcionar como uma porta de entrada para investidores com perfil conservador e até mesmo moderados. Além disso, a renda fixa é também uma estratégia interessante de diversificação para todos os perfis de investidor. Por conta de suas características, é um dos primeiros investimentos feitos pelo investidor que tem somente a reserva de emergência, por exemplo.

 

O setor imobiliário, por exemplo, se provou mais uma vez resiliente a períodos de crise como a do covid-19. Mesmo nesses tempos, e com juro a 2% a.a, foi um dos setores que menos sofreu impacto no mercado e, ainda hoje, vêm galgando melhores perspectivas para o futuro próximo.

 

Nos últimos tempos, os juros da economia sofreram quedas que também influenciaram nos investimentos em renda fixa. Atualmente, com a taxa Selic em 3,50% a.a e o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) em 6,76%, muitos investidores se questionam se ainda vale a pena investir nessa modalidade. É por essa questão que selecionamos algumas das vantagens de investir em renda fixa no cenário macroeconômico atual:

 

  1. Previsibilidade: a remuneração é conhecida desde o momento da aplicação, é mais estável, ideal para quem tem o objetivo de formação de patrimônio;
  2. Acessibilidade: investir em renda fixa é simples e acessível a todos os tipos de investidores. Os aportes iniciais são feitos a partir de R$ 30,00 e tudo pode ser feito online;
  3. Variedade: o investidor tem acesso a uma série de opções, nas quais pode escolher entre diferentes tipos de prazos, de remuneração (mensal, trimestral, semestral, anual ou no vencimento) e de taxas. Além do mais, existe a possibilidade de investir em ativos isentos de Imposto de Renda (IR).

 

Conclusão

 

A renda fixa é uma modalidade de investimentos que oferece retornos recorrentes e, de uma maneira geral, mais estáveis. Por isso, ela costuma ser indicada para investidores iniciantes e para aqueles, com perfil moderado ou agressivo, que querem diversificar sua carteira. Na verdade, as aplicações desta categoria devem estar presentes nas carteiras de todos os investidores. 

 

Antes de investir, compare as características que cada um dos ativos oferece, como rendimento, liquidez e prazo de investimento. Mesmo com o momento atual da economia, investir em renda fixa ainda é muito vantajoso, especialmente em novas modalidades no setor imobiliário com vencimentos de médio e longo prazo.

 

O primeiro passo para investir em renda fixa aqui na expeer é abrindo sua conta em nossa plataforma. No próprio cadastro você descobre o seu perfil de investidor, a sugestão de aporte a ser feito – de acordo com seus dados de perfil e financeiros – e todos os nossos produtos disponíveis nas modalidades peer-to-peer e crowdfunding imobiliário.

 

Com a expeer você tem as melhores oportunidades de investimentos no setor imobiliário.

 

Este artigo foi útil pra você? Deixe aqui nos comentários e invista com quem é expeert. #somosexpeer #somosexpeerts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Fale com a gente

×