04 de Outubro de 2021

Operações do Pix à noite terão limite de R$ 1 mil a partir de hoje


InfoMoney

A partir desta segunda-feira (4), transferências e pagamentos feitos por pessoas físicas entre as 20h e as 6h terão limite de R$ 1 mil. A medida foi aprovada pelo Banco Central (BC) em setembro, com o objetivo de coibir os casos de fraudes, sequestros e roubos noturnos.

As contas de pessoas jurídicas não foram afetadas pelas novas regras. A restrição vale tanto para transações por Pix, sistema de pagamento instantâneo, quanto para outros meios de pagamento, como transferências intrabancárias, via Transferência Eletrônica Disponível (TED) e Documento de Ordem de Crédito (DOC), pagamentos de boletos e compras com cartões de débitos.

O cliente poderá alterar os limites das transações por meio dos canais de atendimento eletrônico das instituições financeiras.

No entanto, os aumentos serão efetivados de 24 horas a 48 horas após o pedido, em vez de ser concedidos instantaneamente, como era feito por alguns bancos.

As instituições financeiras também devem oferecer aos clientes a possibilidade de definir limites distintos de movimentação no Pix durante o dia e a noite, permitindo limites mais baixos no período noturno.

Ainda será permitido o cadastramento prévio de contas que poderão receber Pix acima dos limites estabelecidos, mantendo os limites baixos para as demais transações.

Na semana passada, o BC estabeleceu medidas adicionais de segurança para o sistema instantâneo de pagamentos, que entrarão em vigor em 16 de novembro.

Uma delas é o bloqueio do recebimento de transferências via Pix a pessoas físicas por até 72 horas, caso haja suspeita de que a conta beneficiada seja usada para fraudes.


Projeção para inflação segue em alta e passa de 8,5% para 2021, mostra Focus 


Investing

A expectativa do mercado para a inflação ao consumidor neste ano já supera 8,5%, de acordo com a pesquisa Focus divulgada pelo Banco Central nesta segunda-feira.

O levantamento semanal apontou que a expectativa para a alta do IPCA agora é de 8,51%, contra 8,45% na semana anterior, na 26ª elevação seguida da projeção. O resultado, se confirmado, dispara bem acima da meta para a inflação este ano, de 3,75% com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

A conta para 2022 também aumentou e está em 4,14%, de 4,12% antes, contra um objetivo central de 3,5% também com margem de 1,5 ponto.

Para o Produto Interno Bruto (PIB), as estimativas de crescimento seguiram em 5,04% e 1,57%, respectivamente, para 2021 e 2022.

As contas para a taxa básica de juros também não sofreram alterações, seguindo em 8,25% ao final deste ano e em 8,50% no fim do próximo.


Startups recebem três vezes mais recursos de Venture Capital em 2021, diz KPMG


Suno Notícias

Até o fim de setembro deste ano, as startups brasileiras já tinham recebido, somadas, um montante três vezes maior do que o visto em 2020 no mesmo período, com R$ 33,5 bilhões até então. Os dados são de um levantamento recentes da pela consultoria KPMG em parceria com a ABVCAP (Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital).

Segundo o levantamento da KPMG, os aportes considerados para o estudo sobre startups levou em conta todos os investimentos anunciados por fundos de venture capital destinados a companhias já presentes no mercado do nicho.

O investimento em startups, diz o estudo, aumentou em várias frentes – com o valor médio de aporte aumentando assim como o número de empresas que receberam algum tipo de investimento, que foram 239 neste ano ante 195 em 2020, e 88 no ano de 2019.

Somente no terceiro trimestre deste ano, 92 startups receberam investimentos, sendo 29 fintechs (financeiro) e insurtechs (seguros), 11 softwares e 9 logtechs (logística).

O aporte médio por startup foi de R$ 130,7 milhões no terceiro trimestre, alta de 63% em relação valor médio registrado no mesmo período de 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Fale com a gente

×